Como podemos contribuir com a sustentabilidade na escola?

O que é Sustentabilidade?

Cada vez mais temos ouvido falar na palavra sustentabilidade. Uma das primeiras coisas que nos remete a esse termo são “reciclagem do lixo” e “economia de água”. Mas a sustentabilidade vai muito além disso. Sustentabilidade é o equilíbrio do que nós precisamos da natureza, e o que oferecemos em troca. É utilizar de forma consciente tudo o que consumimos, como água e energia; é diminuir resíduos e poluentes, como por exemplo andar de bicicleta ao invés do carro; pensar para onde vai todo o lixo que produzimos; saber de onde vem tudo o que compramos e utilizamos; pensar em ações de preservação e ampliação de áreas verdes, como o plantio de árvores e a conservação de nossas florestas; é ter uma cidade que ofereça transporte limpo, de qualidade e com segurança; uso de energias limpas e renováveis; políticas claras e abrangentes de saneamento. Ser sustentável é algo muito complexo, mas que ao mesmo tempo engloba atitudes simples que podemos adotar em nosso dia a dia, como por exemplo separar o lixo orgânico do reciclável (e dar a destinação correta aos mesmos) e não jogar lixo nas ruas. A sustentabilidade deve e pode ser praticada por todos!  

O que é Saneamento?

Segundo a Organização Mundial da saúde (OMS), saneamento é o conjunto de medidas adotadas em um local para impedir que fatores físicos de efeitos nocivos prejudiquem o bem-estar físico, mental e social das pessoas, ou seja, uma cidade deve oferecer boas condições de limpeza e higiene para toda a sua população. Saneamento é ter água tratada, coleta e tratamento de esgoto, limpeza das cidades, manejo de resíduos e drenagem de água da chuva. No Brasil, por Lei o Saneamento Básico é um direito humano, mas infelizmente isso não acontece na prática. Os números são alarmantes: Apenas 48,6% da população têm acesso a coleta de esgoto, e mais de 35 milhões de brasileiros não tem acesso a água tratada, ou seja, mais da metade da população não têm acesso a banheiro, fazendo suas necessidades a céu aberto. A falta de saneamento favorece a transmissão de doenças infecciosas como cólera, dengue, hepatite, leptospirose, febre tifoide, entre muitas outras. A diarreia, por exemplo, causa anualmente a morte de 1,5 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade em todo o mundo. Uma pesquisa da ONU aponta que 443 milhões de dias letivos são perdidos todos os anos por alunos do mundo todo devido a problemas ligados a falta de saneamento e água. Os mosquitos também são responsáveis pela transmissão de doenças cada vez mais comuns, como dengue, Febre Chikungunya, Zika Vírus e Malária, sendo anualmente os causadores da morte de 725 mil pessoas no mundo todo. Concluindo… É possível concluir que o saneamento básico é de extrema importância, já que engloba os três pilares da sustentabilidade: o ambiental (coleta e tratamento adequados de resíduos sólidos, líquidos e gasosos, como a preservação da nossa natureza); o social (a saúde é essencial para o desenvolvimento da sociedade) e o econômico (quando há investimento em saneamento, há redução de gastos da saúde, por exemplo).   Texto adaptado da publicação feita no site da Creche Segura: http://www.crechesegura.com.br/como-podemos-contribuir-com-sustentabilidade-na-escola/